sábado, 19 de novembro de 2016

O Alcorão - aula 4


Texto de Khadija Kafir

Muita gente diz para mim que ocidentais não deveriam criticar o Alcorão, e usam o pretexto de que a Bíblia também é um livro violento e misógino. O que tais pessoas estão fazendo na verdade é desviar a atenção de um assunto que já é um grande problema no Ocidente.

Imagine que um homem acusa outro homem de roubo. O acusado se defende dizendo: "mas você também rouba". Ora, esse argumento não faz do acusado uma pessoa inocente, apenas atesta que AMBOS são culpados e deveriam estar na cadeia. 

Assim, criticar o Bíblia ou o Cristianismo não vai tornar o Islã uma religião inocente. Vai apenas atrapalhar uma crítica necessária, calar um debate necessário e colocar a segurança das pessoas em risco. 

Mas finalmente, que comparações podemos fazer entre a Bíblia e o Alcorão? Se você leu as lições 2 e 3 com atenção, já deve ter percebido algumas diferenças. 

A primeira das diferenças entre esses dois livros é que com a lei da ab-rogação do Alcorão (lição 2), os versos violentos vêm depois dos versos pacíficos e acabam substituindo esses versos. Já na Bíblia, a parte mais pacífica (o Novo Testamento) substitui a parte mais violenta e primitiva (o Velho Testamento). Isso significa que o Alcorão é o contrário da Bíblia porque a mensagem final do Alcorão é de violência e a da Bíblia é de paz. 

A segunda diferença entre a Bíblia e o Alcorão é que a Bíblia é um livro considerado "inspirado" por Deus. A Bíblia reconhece a intervenção humana em suas escrituras. Vamos ver o que o apóstolo Lucas diz nos primeiros versos de seu Evangelho.

"Visto que muitos já tentaram compor uma narração dos fatos que se cumpriram entre nós - conforme nos transmitiram os que desde o princípio, foram testemunhas oculares e ministros da palavra - a mim também pareceu conveniente, após acurada investigação de tudo desde o princípio, escrever-te de modo ordenado, ilustre Teófilo, para que verifique a solidez dos ensinamentos que recebestes".

Para quem não entendeu, eu explico: o autor está dizendo que fez uma pesquisa para escrever seu Evangelho. Se a Bíblia fosse a palavra literal de Deus ditada por um anjo, não haveria necessidade de pesquisa nenhuma.

Já o Alcorão é um livro considerado pelos muçulmanos como "a palavra literal de Deus" revelada a Maomé (lição 3). Se você leu a lição anterior, já sabe que isso causa muitos problemas. Isso é também embaraçoso para os muçulmanos porque o Alcorão contém muitos erros científicos. Já na Bíblia, os erros científicos são atribuídos ao homens que a escreveram, não a Deus.

A Bíblia foi escrita por rabis judaicos letrados, homens que dominavam a arte da prosa e da poesia. O Alcorão foi escrito por um homem analfabeto com o auxílio de escribas (sura 7: 157-158; sura 25: 4). O resultado disso é que a Bíblia é mais agradável de se ler; e o Alcorão, bastante enfadonho.
Alguns estudiosos duvidam que Maomé fosse analfabeto, pois ele antes de morrer deixou uma cópia compilada (organizada) do Alcorão (sura 75:17). Maomé foi criado por um tio rico que provavelmente se esforçou para educá-lo, e também foi casado durante 25 anos com uma mulher de negócios, ajudando no comércio das mercadorias. 

ATENÇÃO: a pessoas não estão em perigo hoje em dia por causa da Bíblia. Se todos ficarem apontando defeitos na Bíblia para calar o debate sobre o Alcorão, provavelmente acabarão dominados (as) por essa nova força maligna e misógina.


Acompanhe o blog para entender tudo sobre o Islã. 

Até a próxima!

Nenhum comentário:

Postar um comentário