sábado, 19 de novembro de 2016

O Alcorão- aula 3


Texto de Khadija Kafir
Os muçulmanos dizem que o Alcorão é a palavra literal de Deus. Eles acreditam em uma tradição (um hadith) que diz que o anjo Gabriel aparecia a Maomé e lhe revelava o Alcorão. Essa é uma crença central na fé islâmica. Veja o que diz o livro "Um breve guia ilustrado para compreender o Islã" que é dado gratuitamente em mesquitas. 




Como você pode perceber, a crença de que o Alcorão é a palavra literal de Deus traz muitos problemas, pois daí deriva que ele deve ser interpretado literalmente. Diferentemente da Bíblia, o Alcorão não possui recursos estilísticos abundantes como metáforas, metonímias, catacreses, etc. Tudo é mais "seco", ou seja, mais descarado!

Todas as vezes em que acontece um atentado terrorista, ou que um grupo terrorista se forma, os chamados muçulmanos "moderados" tentam dizer que tais terroristas interpretaram mal o Alcorão. 

Mas o certo é que se esse deus a quem chamam pela palavra árabe "alá" realmente existisse, ele seria um tremendo incompetente. Um deus responsável jamais iria escrever semelhantes coisas - e coisas tão horríveis - para depois culpar os míseros homens "que interpretaram mal". 

Que tal se a gente der uma olhada em alguns dos versos mais violentos do Alcorão? Aqueles que foram escritos em Medina e que por isso valem mais pela lei da ab-rogação (ver lição 2).

Alcorão 2:216 A guerra foi-vos prescrita, e vós a detestais. Mas quantas coisas detestais que acabam vos beneficiando, e quantas coisas amais que acabam vos prejudicando! Deus sabe, e vós não sabeis.
Alcorão 2: 246 Não viste os grandes entre os filhos de Israel quando, após Moisés, disseram a um de seus Profetas: "Envia-nos um rei, e combateremos na senda de Deus". perguntou-lhes: "E se vos recusardes a combater quando o combate vos foi prescrito?" Responderam: "E por que não combateríamos na senda de Deus quando fomos expulsos de nossos lares e do de nossos filhos?" Mas quando o combate foi-vos prescrito, viraram as costas e se afastaram, com poucas exceções. Deus reconhece os prevaricadores.
Alcorão 3: 140-141 Quando um golpe vos atingir, igual golpe terá atingido os descrentes. São vicissitudes que alternamos entre os homens para que Deus reconheça os que creem e escolha mártires entre vós- Deus não ama os iníquos. E para que ponha os crentes a prova e aniquile os descrentes. 
Os muçulmanos dizem que as batalhas descritas no Alcorão são "defensivas" ou seja, Maomé estava apenas "se defendendo" de ataques contra ele. 

Isso é pura conversa fiada por vários motivos:

1- A guerra é uma prescrição. O Alcorão contém vários versos de ódio aos descrentes e recompensas celestes para os jihadistas.
2- A vida do profeta Maomé está cheia de agressões gratuitas. As pessoas que o criticavam não eram consideradas "inocentes" na opinião dele.
3- Se é permitido se defender, então os cristãos, budistas, hindus e outras religiões podem se defender dos muçulmanos atuais usando a força ou a violência. E também neste caso, as cruzadas foram algo bastante justificável.

Você deve estar pensando: mas a Bíblia também é um livro violento. Então na próxima aula você vai ver as diferenças entre o Alcorão e a Bíblia. 

Até a próxima!


Nenhum comentário:

Postar um comentário